Como começar a investir seu dinheiro

Muitas pessoas tem dúvidas sobre como dar os primeiros passos no mundo dos investimentos.

Então tomei a decisão de criar este artigo, uma espécie de tutorial para os iniciantes terem uma direção no mundo dos investimentos.

Mas antes de começar a investir seu dinheiro, preciso te contar sobre as fases do dinheiro.

Primeira fase: quitar dívidas

Segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), 63% das famílias brasileiras estão endividadas neste momento. (10/2019)

Por isso é muito importante entender que antes de começar a investir, é necessário quitar as suas dívidas.

Entenda sua real situação e encare de frente. Para isso você pode usar uma planilha, caderno ou aplicativo para anotar suas receitas e despesas, é muito importante anotar TUDO!

Se você está devendo no cartão de crédito ou cheque especial que tem uma taxa entre 12% e 14% ao mês, verifique se existe a possibilidade de trocar sua dívida atual por uma dívida mais barata, com menos juros.

Algumas empresas que oferecem este tipo de serviço são:

E não existe mágica, você vai ter que fazer alguns esforços como deixar de sair, ir ao cinema ou comer fora por exemplo.

Se você não tem dívidas, meus parabéns! 👏👏👏

Segunda fase: poupar dinheiro

Apenas 8% dos brasileiros conseguem poupar algum valor mensal.

Muitas pessoas não conseguem sair desta fase e vou te explicar o porque.

Elas gastam tudo que ganham

Existem pessoas que não conseguem guardar dinheiro por um fator psicológico, se ela abrir o aplicativo do banco e tiver R$ 100,00 na conta, ela “precisa gastar” aquele dinheiro, enquanto ela não gastar tudo que tem ela não fica satisfeita.

Elas não ganham o suficiente

Em muitos casos realmente as pessoas não ganham uma quantidade suficiente de dinheiro para poupar, nesse caso você vai ter que aumentar a sua renda, seja através de trabalhos freelancer, trocando de emprego ou até mesmo empreendendo. Não tem muito o que se fazer, é preciso aumentar a receita.

Terceira fase: reserva de emergência

Uma coisa é fato, imprevistos são totalmente previsíveis!

Então se você criar a sua reserva de emergência, quando os imprevistos chegarem você vai estar preparado e vai conseguir dormir tranquilo.

Para entender como montar a sua reserva de emergência você precisa saber o seu custo de vida.

Custo de vida

O seu custo de vida é basicamente a soma de todos os seus custos básicos como: aluguel, prestação de financiamento, alimentação, transporte, saúde e etc.

Como criar sua reserva de emergência

Existem dois calculos para a reserva de emergência:

Funcionários autônomos ou PJ: Em média doze vezes o seu custo de vida.

Funcionários registrados (CLT): Em média seis vezes o seu custo de vida.

Supondo que o seu custo de vida seja de R$ 1.000,00 reais e você seja funcionário CLT, sua reserva de emergência deve girar em torno de R$ 6.000,00

Onde deixar a reserva de emergência:

Lembre-se que o objetivo da sua reserva de emergência não é ter lucro!

Então você deve deixar sua reserva em um investimento de baixo risco (menor rentabilidade) e com liquidez imediata (liquedez é a facilidade com que seu investimento pode ser convertido em dinheiro).

Para isso você pode utilizar contas que rendem 100% do CDI (Certificado de Depósito Interbancário), como a NuConta por exemplo.

Quarta fase: investimentos

Antes de partir para investimentos você precisa identificar o seu perfil de investidor.

investidor conservador

O investidor conversador preza pela segurança em seus investimentos, e não arrisca quase nada. Este perfil tende a ser extremente conservador em seus investimentos tendo uma carteira entre 95~100% em renda fixa e em alguns casos 5% em renda variável.

investidor moderado

O investidor moderado aceita correr um pouco de risco para que seus rendimentos sejam maximizados. Geralmente este perfil de investidor tem algo como 80~85% em renda fixa e o resto em renda variável.

investidor arrojado

O investidor arrojado busca alta rentabilidade, é um investidor que pode tomar risco e entende que pode ter perdas em seu patrimônio. Geralmente este perfil de investidor tem algo em torno de 40% em renda fixa e o resto em renda variável.

investidor agressivo

O investidor com o perfil agressivo (meu caso), busca lucros extremos. Ele tem basicamente apenas a sua reserva de emergência em renda fixa e o todo o resto de seu patrimônio em renda variável.

Agora que você já identificou o seu perfil de investidor é hora de abrir sua conta em uma corretora, prefira corretoras ao invés de bancos tradicionais, pois em geral eles cobram altas taxas.

Atualmente existem corretoras que são 100% gratuítas como a Clear e o Banco Inter. Lembrando que os emolumentos da B3 permanecem independente da corretora.

Algumas das principais corretoras do país:

A escolha da sua corretora de investimentos é algo muito pessoal, além dos preços existem outros fatores que você deve levar em consideração como:

Depois que você escolher sua corretora, será necessário abrir uma conta nela. A abertura de conta em uma corretora é basicamente o mesmo processo de abertura de conta corrente em um banco.

Depois de analisar seu cadastro, a corretora irá te enviar a confirmação de abertura de conta, nessa confirmação você irá receber um número de agência e conta (igual de um banco normal) ao qual você deverá fazer o primeiro depósito em sua conta da corretora via TED.

Depois que seu TED for compensado e seu saldo já estiver disponível na conta da corretora, você já pode escolher em quais produtos quer investir e fazer o seu primeiro investimento.

Não esqueça de me seguir no instagram!

Abraços e bons investimentos!